Jeep Compass 1.3 Turbo: Baixa de Óleo

Anúncio

O Jeep Compass 1.3 Turbo tem sido objeto de um longa duração realizado pela Quatro Rodas.

Onde o veículo é testado em condições reais, seguindo todas as revisões e analisando seu desempenho ao longo do tempo. 

Neste artigo, vamos explorar os principais pontos levantados durante os primeiros 50.000 km desse veículo, incluindo o consumo de óleo elevado do motor, o barulho irritante dos pneus e questões relacionadas à revisão na concessionária. 

Vamos mergulhar nessa emocionante jornada!

Anúncio

Consumo de óleo do motor do Jeep Compass 1.3 Turbo:

Consumo de óleo do motor do Jeep Compass 1.3 Turbo

Uma das primeiras preocupações que surgiram durante o teste foi o consumo de óleo do motor. 

O Jeep Compass 1.3 Turbo utiliza um óleo da marca Mopar, fornecido pela Shell, e o manual do veículo indica que é tolerável um consumo de até um litro de óleo a cada 2.500 km. 

No entanto, alguns relatos de proprietários indicavam um consumo excessivo de óleo, levando a problemas de lubrificação e, em alguns casos, à troca completa do motor.

Durante o teste de longa duração, a equipe da Quatro Rodas também observou um consumo significativo de óleo nos primeiros 12.000 km do veículo. 

A primeira revisão foi feita aos 12.000 km, e nesse período o motor já havia consumido 300 ml de óleo. 

A concessionária responsável pelo serviço alegou que o consumo estava dentro dos padrões e ofereceu a reposição gratuita do óleo quando necessário.

Anúncio

Para controlar a situação, a equipe passou a acompanhar regularmente o consumo de óleo e até mesmo carregava um litro de reserva no porta-malas. 

No entanto, após uma atualização do módulo do motor, fornecida pela concessionária, o consumo de óleo foi normalizado e se tornou mínimo. Essa atualização eletrônica parece ter solucionado o problema, evidenciando que não se tratava de uma falha mecânica, mas sim de um ajuste necessário.

Desempenho e atualização do motor Jeep Compass 1.3 Turbo:

O Jeep Compass 1.3 Turbo apresenta um motor mais potente em comparação à versão anterior, com 185 cavalos de potência e um torque maior. 

No entanto, após a atualização do módulo do motor, realizada durante a segunda revisão, foi observada uma redução no desempenho. 

O tempo de aceleração de 0 a 100 km/h aumentou de 9,9 para 10,1 segundos, e o consumo de combustível também foi ligeiramente afetado.

Apesar dessa piora no desempenho, é importante ressaltar que o consumo de óleo foi normalizado após a atualização, indicando que o ajuste eletrônico teve um efeito positivo nesse aspecto. 

É válido mencionar que a redução no desempenho pode ser resultado de uma mudança no comportamento da bomba de óleo, que passou a regular a pressão de forma mais eficiente.

Outros problemas e questões:

Durante o teste de longa duração, o Jeep Compass apresentou outros problemas menores, como a queima da bomba de combustível aos 46.000 km, que exigiu a intervenção da concessionária. 

Além disso, houve falhas eletrônicas, como a do dimmer, responsável pela regulagem do brilho das telas e das luzes dos botões, que acabou afetando a iluminação do painel. 

Também foram registrados problemas com a bateria da chave presencial e a necessidade de troca do para-brisa devido a uma rachadura causada por uma pedra na estrada.

Anúncio

Outro ponto de preocupação foi o ruído irritante dos pneus, especialmente quando o veículo atingia velocidades entre 80 e 90 km/h. 

Foram realizadas investigações, incluindo a troca de pneus e rolamentos, mas o barulho persistiu. A análise da fabricante dos pneus, Pirelli, indicou que não havia defeito de fabricação e sugeriu que o problema poderia estar relacionado a um uso inadequado ou falta de manutenção. 

No entanto, a equipe de testes seguiu todas as recomendações de manutenção, como alinhamento, rodízio e calibragem corretos.

Conclusão:

O Jeep Compass 1.3 Turbo passou por diversas situações desafiadoras durante o teste de longa duração, incluindo o consumo elevado de óleo do motor, problemas eletrônicos e ruído dos pneus. 

No entanto, é importante destacar que muitos desses problemas foram solucionados por meio de atualizações do módulo do motor e acompanhamento cuidadoso dos componentes. 

Apesar das adversidades, o veículo mostrou-se resistente e capaz de superar esses obstáculos.

Como em qualquer teste de longa duração, é essencial lembrar que esses problemas podem variar de veículo para veículo, e a experiência de cada proprietário pode ser diferente. 

No entanto, essas informações fornecem um panorama geral do desempenho e dos problemas potenciais do Jeep Compass 1.3 Turbo, permitindo que os consumidores estejam cientes dos aspectos a serem observados ao adquirir esse veículo.

Este Artigo foi escrito baseado nas informações obtidas do teste feito pela Quatro Rodas.


Descubra mais sobre SUV Car

Subscribe to get the latest posts sent to your email.

Anúncio

6 Comentários

  1. Wylersson de Paiva disse:

    A questão do consumo de óleo no meu renegade não foi resolvido com ajuste eletrônico e a última atualização seria a troca do motor, o que eu não aceito, por esse motivo estou resolvendo na justiça e acredito que o que Jeep está fazendo vai fazer com que ela tenha o mesmo fim da Ford, total descredibilidade. Estou com um carro alugado pela Jeep, obrigada pela justiça enquanto rolar o processo. Acho que o grande temor seja que processos como esses gerem jurisprudência e milhares de pessoas possam requerer seus direitos de consumidor e não pagar 150 mil por um carro com sérios vícios de fabricação.

  2. Marcio Pereira disse:

    Tenho um Compass 2022
    Ele consumia óleo, na primeira revisão foi feita atualização e problema resolvido
    O dimmer da luz do painel também deu problema e foi trocado em garantia.
    Com relação a ruído dos pneus o carro não tem

  3. Wylersson, torcemos para que a Jeep resolva seu problema o quanto antes, depois nos conte como ficou o desenrolar desta historia.

  4. Tenho uma Toro com esse motor 1.3 , fiz a primeira revisão com 4.500km e assim que saí da concessionária percebi que o consumo tinha aumentado. Na segunda revisão no mês 8 de 2023 a Toro saiu da concessionária com um consumo maior que no anterior e 30 dias depois parou de funcionar.
    Segundo a concessionária falou que era ( Bomba de Alta pressão) e não foi trocado a Bomba, fizeram atualização. Eu fiquei sem entender?

    1. Sim, realmente houve um (recall).

      A Fiat convocou os donos dos modelos Toro e Pulse de ano/modelo 2022 e 2023, e Fastback 2023, para um recall. O problema estava na bomba de combustível dos motores turbo 1.0 (T200) e 1.3 (T270).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *